AS Notícias Online
HOME POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE GERAL EVENTOS EMPREGOS AGENDA VÍDEOS CONTATO
Boa tarde - Itabira, terça, 20 de novembro de 2018  

POLÍCIA
Alexandre Frota é condenado a apagar postagem ofensiva contra estudante de BH
Frota usou fotos pessoais da jovem para ofendê-la; comentários de seguidores de Frota sugeriam que ela deveria apanhar como forma de correti 30/08/2018

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Frota
Frota pegou fotos que estavam no perfil dela na rede social e replicou em sua página, sob uma legenda de "tom escarnecedor", segundo a Justiça
PUBLICADO EM 29/08/18 - 20h56

O candidato a deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) e a empresa Facebook foram condenados a apagar uma postagem ofensiva contra uma estudante de Belo Horizonte. De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Frota pegou fotos que estavam no perfil dela na rede social e replicou em sua página, sob uma legenda de "tom escarnecedor", segundo a Justiça.

Em uma das fotos a menina aparecia com cabelos longos. Na outra, ela aparece com cabelos curtos. De acordo com o TJMG, Frota sugeria que, após entrar na universidade, ela teria se tornado homossexual.

A partir disso, os seguidores de Frota começaram a comentar a postagem, fazendo ofensas homofóbicas e sugerindo até que ela deveria sofrer agressão física como corretivo por sua aparência.

 

Na primeira das fotos postadas por Frota, a estudante aparece com apenas 16 anos de idade. Na outra imagem, mais recente, a vítima aparece com 22 anos. Após uma série de denúncias ao Facebook feitas pela estudante e seus amigos, apenas uma das fotos foi excluída da postagem.

A estudante ainda pede uma indenização por danos morais na Justiça. A decisão do juiz Elias Charbil Abdou Obeid, titular da 26ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte, prevê que, em caso de desobediência, seja paga uma multa diária de R$ 1 mil por dia, limitada a 30 dias.

Em sua fundamentação para conceder a medida liminar, o juiz Elias Charbil Abdou Obeid entendeu que Frota fez a postagem sem qualquer autorização. O magistrado registrou ainda que são “notórios os prejuízos à imagem e à honra da autora, tendo em vista o cunho discriminatório da postagem”.

"Antes e Depois"

A postagem de Frota se assemelha ao conteúdo de um perfil chamado "Antes e Depois da Federal". A página foi criada nas redes sociais para expor e fazer chacota da transformação de jovens estudantes, em sua grande maioria LGBTs, ao entrarem em universidades. O perfil chegou a ser denunciado à polícia e foi excluído de algumas redes.

Em resposta a esse perfil, a comunidade LGBT começou uma corrente de postagens de seus "antes e depois" de forma afirmativa e empoderada, reiterando as mudanças positivas que a transformação trouxe para a autoestima de cada um.

 
 

 


 

 

E-mail: contato@regionaldigital.com.br

REGIONAL DIGITAL 2018. Todos os Direitos Reservados.
REGIONAL DIGITAL
INFORMAÇÃO DE QUALIDADE!
Desenvolvedor: SITE OURO